Curtas do primeiro trimestre

| 1 Comment

- É muito interessante este processo de engravidar. Eu fico me sentindo irreconhecível com tantas mudanças acontecendo ao mesmo tempo. Minha capacidade de concentração e a memória de curto prazo são as primeiras coisas a desaparecerem, junto com a minha cintura, aparentemente.

- Eu tenho tido tantos sonhos malucos que deveria escrever um livro. Eles parecem tão reais! Sonho com pessoas do meu passado, que não vejo há anos, sonho com água e sonho com comida, muita comida. Acho que deve ser para compensar os 3kg que já perdi de tanto vomitar. Noite passada eu sonhei que estava conversando com a minha cachorrinha. Que me respondia, claro. A cena corta do nada para um prato na minha frente de crepe de morango com nutella. E depois, volto para a piscina, cheia de sacolas azuis da Ikea, enumeradas e catalogadas para o próximo programa da casa própria (?!).

- Por falar em livro, acho que também vou escrever um sobre as técnicas anti-enjoo… De gengibre a limão, já tentei de tudo por aqui. Aliás, sobre medicamentos para vômitos e enjôos, recomendo a leitura deste artigo. Agora estou no caminho da aceitação. Eu sou uma grávida que enjooa, que vomita sete vezes por dia, que passa mal, e que tem todos os sintomas inconvenientes possíveis. Provavelmente devo estar um bocado mal-humorada também. Então que seja, que venha o bebê com saúde e depois disso eu tento ter uma conversa racional sobre o assunto. Até lá, eu não estou fazendo sentido nenhum. Nem para mim.

- Eu virei uma chorona. Choro porque não paro de passar mal, choro quando consigo ficar sem passar mal, choro porque os comerciais da TV andam muito emocionais, com uma pegada muito forte. Afinal, quem é que coloca uma mãe dando um beijo de boa noite na filha assim, em pleno horário nobre? Chuva de lágrimas… Eu choro porque o neném não nasceu, choro porque a Isabella está aqui, choro porque… Por que mesmo?

- No meio dessa fase de gestação, tem sido maravilhoso ver como é bom ter amigos. O carinho vem de várias formas: há quem se ofereça para cuidar da Isabella, quem dê uma força com a casa, quem venha para dar um abraço, quem traga comida quentinha… Obrigada, de verdade! Esta experiência tem me mostrado que aceitar ajuda não é sinal de fracasso.

- O marido tem tentado se desdobrar em vinte por aqui. Ele brinca com a Isabella, cuida do almoço e até da casa do jeito dele… Ainda bem! E aqui vamos nós torcendo para que o segundo trimestre chegue e com ele a fase do céu das grávidas. Barriga ainda carregável, muita disposição e nada de enjoos. E eu vou fazer de conta que nem escuto aquelas histórias de grávidas que enjoaram até o final da gravidez. Por favor, me poupem, hein?

One Comment

  1. Ahhaha coitadinha!!
    Mas é o que eu digo.. O bom de estar com todos esses sintomas é que o baby ta bem e se desenvolvendo que é uma beleza!! :) e o bom é que pelo menos os enjoos passam. ;)

    Curta muito!! Rs
    Beijinhos.

Leave a Reply

Required fields are marked *.

*